2 de outubro de 2016

O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick

Título: O Lado Bom da Vida
Autor (a): Matthew Quick
Editora: Intrínseca
N° de páginas: 256
Classificação: 


✏ Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele 'lugar ruim', Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um 'tempo separados'. Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.


"Não quero ficar no lugar ruim, em que ninguém acredita no lado bom das coisas, no amor ou em finais felizes."

O livro conta a história de Pat Peoples, um ex professor de história que, por algum motivo que não se lembra, foi parar em uma clínica psiquiátrica, entitulada por ele como "lugar ruim". Tudo que mais quer é sair desse lugar e melhorar o físico, os pensamentos e o comportamento, para surpreender e reconquistar sua esposa, Nikki, e dar um final ao "tempo separados".

Pat acaba saindo da clínica - com a ajuda e apoio de sua mãe - e indo para a casa de seus pais, onde encontra tudo que precisa para ficar em forma e fazer o necessário para reconquistar sua esposa. O que acaba não encontrando por lá é um pai amoroso, participativo e interessado na vida do filho. Pelo contrário. Ainda soma a isso o fato de o pai levar um relacionamento difícil com a esposa, existindo tréguas somente quando seu time do coração, Os Eagles, vence um jogo. 

Tendo que lidar com essas e outras situações, Pat se vê triste. O que ele não esperava era conhecer Tiffany, cunhada de um grande amigo dele, que também estava passando por um momento difícil.e acaba se tornando um grande amiga. Com o avanço da leitura, vamos percebendo as dificuldades do protagonista, sua luta e força de vontade para se tornar cada vez um homem melhor e mais gentil e sua visão do lado bom das coisas.

Pat acaba aparentando ter um parafuso a menos. Mas quem não tem um pouco de loucura dentro de si? Fiquei torcendo muito para que ele conseguisse colocar um ponto final em sua luta interior. Ri, me emocionei e quis levar o exemplo de pensamento positivo para a vida. O mundo possui tantas coisas lindas, há sempre o lado bom da vida, mas às vezes nossos olhos só conseguem enxergar o lado ruim das coisas. 

"Confirmo. Choro. Quero mesmo ser uma boa pessoa. Quero de verdade."

O livro é contado pelo ponto de vista de Pat, um personagem mentalmente instável. Quick escreve de um jeito que nos faz conhecer mais sobre o personagem em seu interior e ter um contato maior com o mesmo. Ele conseguiu transmitir para o leitor os sentimentos, que variam de momentos de intensa alegria e descontração para outros de grande tristeza e angústia. 

Durante a leitura imaginei um final bem diferente do que li. Me decepcionei? Claro que não! Foi muito melhor do que aquele que estava em minha mente e alguns acontecimentos do livro acabaram se tornando uma grata surpresa. 

Com o exemplo dado no livro, podemos ver o quão importante é o apoio daqueles que estão presentes na vida dos mentalmente instáveis. Alguns estavam à volta de Pat somente em presença. Outros, só pensavam em criticá-lo e não em entendê-lo e apoiá-lo. Em alguns acontecimentos podemos perceber o preconceito, o medo da reação, a falta de interesse. É muito perceptível a melhora do personagem quando encontra um ombro amigo e um apoio. São situações que às vezes acontecem em nossas vidas e sem perceber agimos de forma equivocada, não nos colocando no lugar do outro. 

O mais interessante é que é exatamente aquele que está passando por um momento tão difícil, traçando uma luta tão complicada, que procura fazer o bem, praticar ser gentil e agradar as pessoas, enquanto outros se preocupam com coisas às vezes irrelevantes. 

Vamos fazer como Pat e Auggie e começar a praticar ser gentil, ao invés de ter sempre razão. 

Acompanhe o blog:
FACEBOOK  INSTAGRAM  TWITTER 
Contato: minhasecretapoesia@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário