7 de setembro de 2016

As Aventuras de Sherlock Holmes, de Sir. Arthur Conan Doyle

Título: As Aventuras de Sherlock Holmes
Autor (a): Sir. Arthur Conan Doyle
Editora: Zahar
N° de páginas: 415
Classificação: +


✏ Sinopse: O cenário é Baker Street, virada do século XIX para o século XX em uma Inglaterra cavalheiresca e genial, ao mesmo tempo, problemática e ambígua. Sherlock Holmes é um famoso detetive, em tanto excêntrico, que tenta solucionar mistérios acompanhado por seu fiel escudeiro Watson. O livro traz os doze primeiros contos do autor, publicados entre julho de 1891 a junho de 1892 na Strand Magazine.


"Era o meu maior prazer acompanhar Holmes em suas investigações e admirar as deduções rápidas, velozes como intuições, mas sempre escoradas em uma base lógica, com que deslindava os mistérios que lhe eram apresentados."

Misterioso e inteligente, com uma escrita formidável!

Em "As Aventuras de Sherlock Holmes" acompanhamos 12 diferentes casos que foram confiados ao excelente detetive da Baker Street. Sempre seguindo uma linha de raciocínio nada comum, Sherlock consegue surpreender, mais uma vez, com seu grande poder de dedução dos fatos.

"Você olha para essas casas espalhadas e fica impressionado com sua beleza. Eu olho para elas e o único pensamento que me ocorre é a sensação de seu isolamento e da impunidade com que os crimes podem ser cometidos dentro delas."

Me admira muito a escrita do autor, como desenvolveu todas as histórias, os desfechos super interessantes e, na maioria das vezes, nada previsível. Não consegui escolher um preferido entre os casos que li, pois cada um teve o seu ponto interessante e posso dizer que nenhum deixou a desejar ou me fez gostar menos do livro.

Nele temos a famosa dupla trabalhando, tanto confortavelmente em frente à lareira, quanto nas ruas de Londres, procurando minuciosamente por pistas, tentando desvendar os acontecimentos de seus clientes. Mesmo depois de casado, Watson não recusa os chamados de seu grande amigo, sempre interessado nos misteriosos casos.

"É um velho preceito meu que, quando se exclui o impossível, o que resta, por mais improvável que seja, deve ser a verdade."

Sherlock Holmes foi, sem dúvida, a minha melhor leitura de 2016, até o momento. Para mim, não foi nada repetitivo ou cansativo, na verdade, são coisas que dificilmente descreveriam as histórias desse detetive, ou melhor, dessa dupla tão querida. Já estou ansiosa para ler os outros livros! Deixo aqui a minha indicação, para todos. Leiam!
Acompanhe o blog:
FACEBOOK  INSTAGRAM  TWITTER 
Contato: minhasecretapoesia@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário