20 de junho de 2016

A Menina que Colecionava Borboletas, de Bruna Vieira

Título: A Menina que Colecionava Borboletas
Autor (a): Bruna Vieira
Editora: Gutenberg
N° de páginas: 152
Classificação:,5
SKOOB

Acompanho a Bruna Vieira desde a época que ela morava em Leopoldina e tive a oportunidade de conhecê-la ano passado, quando fez um encontrinho por aqui e consegui seu autógrafo (muito obrigada, menina - mulher - simpática!). Ela é dona do blog Depois dos Quinze, onde faz vários posts, desde textos, beleza, moda até viagens e relacionamentos. 

A Menina que Colecionava Borboletas foi o primeiro livro que li dela, seu terceiro livro publicado.

"As estações mudam, independente do lugar do mundo em que você está."

Reunindo várias crônicas em um mesmo livro, ela expressa, através de sua escrita, seus sentimentos, pensamentos e cria uma espécie de diálogo com o leitor. No livro encontramos temas como estereótipos, relacionamentos, as dificuldades de ser "gente grande". 

Depois de sair da casa dos pais aos 17 anos e ir morar sozinha em São Paulo, Bruna começa a perceber as responsabilidades da vida. Ser adulto não é fácil. Juntam muitas coisas de uma vez só: trabalho, estudo, relacionamentos, saudade, os altos e baixos da vida. E ela vai nos contando fragmentos de suas lembranças durante a leitura, e eu acabei me identificando com ela em alguns momentos. 

Mas não foi a leitura que eu imaginei. Esperava um pouquinho mais do livro. Achei alguns textos um pouco repetitivos (não que seja sempre assim, está bem?), mas houveram outros que eu gostei bastante, como um entitulado "Ciclos que terminam" (foi um dos meus preferidos). 

Não sei exatamente o que achar. A leitura foi rápida? Sim. Fácil? Sim. Boa? Não totalmente, o que não quer dizer que seja ruim, só acho que esperei demais do livro. Uma leitura para passar o tempo,  talvez para sair da ressaca literária, por ser um livro mais leve. 

Além dos textos, o livro possui ilustrações muito lindas e frases que eu adorei! Separei algumas para mostrar a vocês:

"Estar no comando da própria vida é uma das melhores sensações que o ser humano consegue experimentar. A melhor, até onde sei, ainda é o amor."

"Quando algo de que gostamos está sempre à nossa disposição, acabamos nos acostumando com isso e, por comodidade, nos esquecemos de demonstrar o quanto aquilo é importante e de tomar o cuidado necessário."

"Tudo é muito relativo. Seu próximo sorriso só precisa de um novo referencial."

"Somos todos seres humanos, e esses sentimentos fazem parte da nossa existência. O que nos diferencia no final das contas é a maneira como lidamos com cada um deles."

"Eu não quero te consertar. Nunca quis. Quero é provar que podemos ser exatamente assim, cheios de defeitos e sem nenhuma garantia. Invisíveis para o resto do mundo, mas o suficiente um para o outro."
Vocês já leram? O que acharam?

Acompanhe o blog:
FACEBOOK  INSTAGRAM  TWITTER 
Contato: minhasecretapoesia@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário