28 de setembro de 2015

[Resenha] Fragmentados

 Título: Fragmentados
Autor (a): Neal Shusterman
Editora: Novo Conceito
N° de páginas: 320
Classificação:  
            
Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria. Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.
Fragmentados foi um daqueles livros que eu li e que fiquei esperando um pouco mais dele, até que apareceu o final. Achei que o jeito que a história terminou supriu os buraquinhos que haviam ficado no decorrer da leitura. 
A fragmentação é vista por muitos como uma salvação. Várias crianças são "doadas" como dízimo e estas acreditam que nasceram para aquilo e que ser fragmentado é uma honra. Mas não é bem assim. O governo faz essa terrível Lei da Vida, que surgiu após a Guerra de Heartland, se passar como uma coisa boa entre a população.

Quando os adolescentes entre 13 e 18 anos são levados para os campos de colheita, para passar pelo processo, eles são divididos. Cada parte deles, em algum momento da vida, vai fazer parte de outra pessoa. Seja um braço, o coração, ou até os olhos. Seus membros e órgãos podem salvar vidas, mas a vida desses adolescentes são tirada sem que eles queiram. 

Connor, após descobrir que seria mandado para a fragmentação, decide fugir de casa. Ele planeja que irá fugir daquele lugar sem pensar duas vezes, pois não estava pensando em mais nada a não ser não ir para a fragmentação. Nessa fuga, ele consegue se esconder em vários lugares, como em um caminhão. Mas ele estava correndo perigo a cada minuto, pois poderia aparecer um policial e prendê-lo para levá-lo ao campo de colheita.

Desesperado, ele arma um plano e faz um garoto de "refém". Essa sua armação dá certo e Connor consegue fugir, junto com o garoto que, ele fica sabendo, era um dízimo. Mas esse seu plano acaba causando um acidente.
Risa, uma garota órfã que estava nas mãos do governo (por não ter os pais), foi mandada para a fragmentação e estava a caminho do campo de colheita no veículo acidentado. Como pareceu ser a hora certa, ela decide fugir.

"O sistema pode ter um milhão de formas de impedir que os tutelados do Estado tentem ferrar com as coisas. Mas eles não têm um plano de ação para lidar com um acidente. Pelos próximos segundos, nada é impossível." (Pág. 26)

A partir daí temos Connor e Risa em uma busca incessante pela liberdade, e Lev sendo carregado por eles, mesmo contra sua vontade, pois pensava que o caminho dele era a fragmentação e seus pensamentos eram totalmente contrários aos dos outros dois.

O livro foi um pouquinho confuso em algumas partes, mas eu consegui acompanhar a leitura mesmo assim. Ficamos sabendo mais sobre o processo de fragmentação em algumas cenas e definitivamente não é nada agradável. Fiquei ansiosa em algumas partes e em outras tive que parar para juntar algumas informações e peças. Mas isso não diminuiu o meu gosto por essa leitura, está super recomendada!




Acompanhe a Editora Novo Conceito:
Acompanhe o blog:

2 comentários:

  1. Oi ...
    Quando a NC lançou esse livro ele fez um enorme sucesso pela blogosfera !
    No início não me interessei muito , mas , aos poucos fui lendo resenhas , opiniões distintas , até que me interessei um pouco . Coloquei nos desejados , mas , nem imagino quando vou ler .
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Diane! Eu gostei bastante da leitura, tomara que se interesse pela leitura!
      Beijos :)

      Excluir