18 de julho de 2015

[Resenha] Dançando Sobre Cacos de Vidro

Título: Dançando Sobre Cacos de Vidro
Autora: Ka Hancock
Editora: Arqueiro
N° de páginas: 336
  Classificação: 
     

Sinopse: Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles. Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente. Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética. Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor. Dançando sobre cacos de vidro é a história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.
Esse era um livro que eu queria ler há muito tempo. Só pelo nome eu já havia ficado interessada. A capa me chamou muita atenção, porque além de ser linda, agora descobri como tem a ver com a história (se a garotinha tivesse cabelo preto, seria mais perfeita ainda). História essa que me fez ficar sensibilizada. Linda e emocionante, uma demonstração de superação e de amor inabaláveis. Um casal que, apesar de tudo, continua ali, juntinho, sempre se amando. Durante a leitura eu me senti muito próxima de Lucy, como se a conhecesse a bastante tempo. Gostei muito dessa sensação, pois me fez focar mais ainda na história, ficar presa à ela e chegar à conclusão de que foi uma das melhores - e uma das mais tristes/alegres - leituras que fiz esse ano. O livro é contado pelos dois e a história, pelo menos no começo, vai alternando entre o passado dos dois, desde que se conheceram até o que eles vivem no presente. 
Lucy já sofreu e ainda tem chances de sofrer de um problema que é histórico familiar: câncer. Michael tem uma doença mental incurável, desde pequeno, chamada transtorno bipolar. Eles se conheceram na festa de aniversário de 21 anos de Lucy, que foi na casa noturna que Michael e seu sócio administravam. Mic ficou encantado com ela desde o primeiro olhar. E, apartir daí, surge uma relação muito forte. De um lado, ele tem dúvidas quanto a começar um relacionamento, até porque o seu "transtorno" de nada ajudaria. Tomar vários remédios - alguns até para evitar efeitos colaterais de outros -, ir parar no hospital várias vezes durante um ano, depois de um surto psicótico. Ele ainda não havia acreditado que uma mulher poderia querer passar por isso tudo ao seu lado. Mas foi o que Lucy fez. 
O relacionamento deles foi muito criticado por parte das irmãs de Lucy, Priscilla e Lily. Elas não acreditavam que eles poderiam viver em perfeita harmonia e que Lucy sairia prejudicada por causa da doença de Mic. O pedido de casamento foi ainda mais criticado. Priss e Lily eram as duas jóias que restara à irmã, já que seus pais haviam falecido quando ela era mais nova. Mas se casar com um "louco" (como intitularam Mic) não parecia nada agradável e não levaria a um final feliz. Mas eles fizeram mesmo assim, mesmo debaixo do temporal que caiu enquanto o juiz selava aquele amor sem limites, naquele quintal todo enfeitado e lindo, diante dos convidados. E foi aí que começou a vida de casal. E também as dificuldades.

Não era sempre que Michael estava bem. Com o transtorno bipolar, havia várias fases. A fase boa e a ruim, que o levava ao hospital e à recuperação. Fazia sempre consultas com o Dr. Gleason, que mais parecia um pai para ele, e Lucy passou a entender cada dia mais sobre a sua doença e a aceitá-la. Passou a amá-lo mais e mais também, percebendo o quanto ele se esforçava para não chegar ao estágio avançado e pelo imenso carinho e amor que lhe era retribuído. 
Ela também passara por dificuldades. Fora diagnosticada com câncer 5 anos após o início do casamento, mas por sorte ela fora curada com o tratamento forte. Mas ainda havia o histórico familiar. E as chances de aparecer de novo. E foi por isso e pela doença de seu marido que eles fizeram vários acordos durante os anos de casamento, prometendo um ao outro nunca violá-los. E um deles era: nunca ter filhos. Havia sido um dos mais difíceis para eles, mas não havia outra escolha e ela havia ligado as trompas para que o improvável não acontecesse.

Mas, o destino pode nos surpreender. E foi o que aconteceu. Mesmo parecendo que não havia nenhuma chance de ela engravidar, Lucy passa a carregar um bebê em seu ventre. a fascinação e o amor por aquela criança cresciam cada dia mais. Mas, um diagnóstico de algo suspeito chama a atenção de sua médica, Dra. Barsbee, e eles terão de ser muito fortes e entender que muitas coisas vão além da explicação. E que o amor pode sim nos resgatar, nos tirar do fundo do poço e nos trazer de volta à vida.
Livro super recomendado! Só dou uma dica: leia ele com algum lencinho do lado, pois a história é realmente emocionante!

Acompanhe a Editora Arqueiro:
Acompanhe o blog:
Beijos ♥

2 comentários:

  1. Esse livro realmente é muito linda, chorei horrores lendo ele.
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Ana Caroline! Lindo demais, né?!
      Beijos :)

      Excluir